Progresso e gramática.

Desemprego no Vale do Sousa chegou de Espanha em 2009

No JN.

Para o geógrafo Raimundo Quintal, “mais laurissilva significará menor risco de aluvião” e a recuperação da floresta indígena, para além dos benefícios no domínio da biodiversidade, garantirá uma maior infiltração de água e uma protecção mais eficaz dos solos. Além disso, para minimizar os efeitos das cheias, diz ser necessária uma gestão cuidada dos canais de escoamento e políticas urbanas que impeçam a instalação de explorações agrícolas, habitações e armazéns nos leitos de cheia. Até porque “parte do que agora aconteceu é o resultado de 33 anos de Madeira “nova” – uma Madeira sem modelo, sem planeamento e governada para ganhar eleições”.

No Público.